Você está em:

Sobrevivente do Holocausto ministra palestra para alunos da Unidade Cidade Nova

​No dia 19 de Junho, os alunos do 9º. Ano/EF e 3º. Ano/EM do Colégio Espanhol Santa Maria Cidade Nova assistiram a um emocionante relato de uma testemunha de um dos momentos mais tristes da história da humanidade, o Holocausto, massacre do povo judeu em meio à Segunda Guerra Mundial. O palestrante Henry Katina, chegou ao campo de concentração de Auschwitz, na Polônia, aos 13 anos de idade, no último ano do grande conflito.

Henry compartilhou com os alunos um pouco das experiências que viveu durante a passagem pelo campo de concentração, entre elas a perda de familiares muito próximos como o pai, a mãe e os irmãos, ficando emocionado em alguns momentos. Durante a palestra, ele também contou aos alunos alguns exemplos de violência física e emocional sofridos durante o período no campo de concentração, e que, até hoje, é impossível esquecê-los. "É horrível sonhar com meu passado, com o campo e minha tentativa de fugir ou de ser iminentemente preso."

Atualmente morando em Belo Horizonte, Henry vive numa tranquilidade que não experimentou na infância, preenchida por dor e saudade da mãe e do irmão mais novo, dos quais ele se separou já no campo de concentração e não teve a oportunidade de se despedir, tendo em vista que nunca mais os viu. "Aquele momento foi muito difícil de esquecer, o que me atormentou mais tarde, por não ter dito adeus", diz Henry. No Brasil, onde desembarcou em 1957, ele constituiu uma família que lhe traz muito orgulho. São 5 filhos e 9 netos, frutos da relação com a esposa brasileira, Beatriz. Ele relata com ainda mais detalhes as experiências com o Holocausto no livro Passagem para a liberdade, que lançou em 2009.

O estudante Patrick Cotta, do 3º. Ano/EM, comenta que se interessou muito pelo relato de Henry: "Tanto a vida quanto o depoimento de Katina são exemplos para todos nós e nunca devem ser esquecidos. Ele passou por coisas inimagináveis, que devem servir de exemplo para que jamais se repitam. pois o preconceito, apesar de sempre estar presente no mundo, deve ser combatido e nós, cidadãos, temos o poder para fazer o bem prevalecer sobre o mal".

Essa foi a terceira visita de Henry Katina ao Colégio, o que demonstra o interesse dos alunos em saber mais sobre o conturbado período caracterizado por ódio e violência, que foi a 2ª Guerra Mundial.

 

IMG_3863[1].JPG