Você está em:

Colégio Santa Maria celebra a paz

​O Colégio Santa Maria celebra em todas as suas Unidades, entre os dias 17 e 21 de agosto, a Semana da Paz na Escola, uma iniciativa da Diretoria Geral Religiosa, voltada para a comunidade escolar da instituição. Neste ano, o projeto acontecerá em sintonia com o Ano da Paz da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil  (CNBB), que foi aberto em 30 de novembro de 2014 e vai até o Natal de 2015. 

O tema da Semana da Paz na Escola 2015 é "Somos da Paz!" e lema "Eu vos deixo a Paz" (Jo 14, 27a). Ao longo do projeto serão realizadas atividades específicas, como momentos de oração e reflexão, leitura de textos e debates em sala de aula. O objetivo é a promoção da paz no ambiente escolar e a motivar os alunos a cultivá-la em todos os espaços de convivência.

Dom Helder Câmara, Mahatma Gandhi, Dalai Lama, Nelson Mandela e Jorge Mario Bergoglio,o Papa Francisco, serão uma das personalidades lembradas durante o período.  A comunidade escolar será estimulada a doar latinhas de alumínio destinadas à Pastoral de Rua, do Vicariato Episcopal para Ação Social e Política, da Arquidiocese de Belo Horizonte.

 

Vida digna para os moradores de rua

A Pastoral de Rua do Vicariato Episcopal para a Ação Social e Política da Arquidiocese de Belo Horizonte é formada por uma equipe de agentes, entre leigos e religiosos, que são sensibilizados e comprometidos com a situação de quem mora nas ruas. O principal objetivo da pastoral é buscar a superação do estigma da exclusão do morador de rua e auxiliá-lo na conquista da cidadania.

"A missão é ser presença de Deus e resgatar a história de cada um, desenvolvendo ações que possam transformar a vida dessas pessoas", destacou a educadora social e membro da coordenação da Pastoral de Rua, Claudenice Rodrigues Lopes. A pastoral assessora a Associação dos Catadores de Papel, Papelão e Material Reaproveitável de Belo Horizonte (Asmare) e os grupos Moradia para todos e Amigos da Rua, em parceria com o poder público, em três projetos: República Reviver, Centro de Referência Projeto Cidadania e Projeto de Abordagem de Rua.

Segundo Claudenice Rodrigues, ao longo no primeiro semestre deste ano, a Pastoral atendeu 650 pessoas em situação de rua. Os moradores em situação de rua são, em geral, imigrantes que vieram do interior ou de outros estados. Fazem das ruas e praças da cidade suas moradias. Desempregados, buscam alternativas de sobrevivência. Na capital, acabam perdendo suas referências. Não têm como comunicar-se com a família, não possuem endereço fixo, não conseguem emprego e documentos, não têm onde guardar seus pertences, perdem a identidade e o próprio nome.

 

História

Criada em 1987, por meio da Fraternidade das Oblatas de São Bento, a Pastoral de Rua trabalha com o direto de convivência solidária nas ruas, viadutos e lixões, estimulando a redescoberta da autoestima e dignidade do povo da rua. Neste caminho, seus agentes buscam incentivar a organização dos moradores de rua em busca da superação do estigma da exclusão e da conquista da cidadania.

A partir da organização comunitária, procura manter atividades na própria rua  e, ao mesmo tempo, possibilitar a multiplicação de agentes. A dedicação de alguns Moradores de Rua, junto ao movimento, resultou em conquistas projetos importantes, como a  República Reviver, Centro de Referência da População de Rua e Ambulatório Carlos Chagas. A ação junto aos Catadores de Papel resultou na fundação da Asmare (Associação dos Catadores de Papel, Papelão e Material Reaproveitável), em 1990. A partir de 2000, esta experiência foi-se disseminando em outros 21 municípios de Minas Gerais.

 

Serviço:

Rua Além Paraíba, 208 – Lagoinha – Belo Horizonte  – MG

Telefone:(31) 3428-8366 – Fax:(31) 3422-7141

Horário de atendimento: de segunda a sexta, das 8h às 18h.